A Crise da Fronteira com a Venezuela

Por Rivio Xavier Jr.*

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou o fechamento da fronteira com o Brasil a partir da noite desta quinta-feira, (21).

“Decidi, no sul da Venezuela, a partir das 20h deste 21 de fevereiro, que ficará fechada total e absolutamente, até novo aviso, a fronteira terrestre com o Brasil”, afirmou Maduro em reunião com o alto comando militar, divulgada pelas mídias mundiais.

Tal medida foi tomada dois dias antes da data anunciada pela oposição venezuelana, liderada pelo presidente autoproclamado Juan Guaidó, para a entrega de ajuda humanitária armazenada em diversos pontos da fronteira da Venezuela com a Colômbia e o Brasil. A decisão de fechar as fronteiras com os dois países faz parte de uma disputa entre Maduro e seus opositores, já que foi a própria oposição quem pediu a ajuda internacional.

Maduro indicou que também irá fechar a fronteira com a Colômbia e que a decisão sobre a fronteira brasileira se deu por causa do apoio do Brasil aos planos da oposição.

O presidente afirmou que a ajuda humanitária, que foi enviada pelos EUA, é uma “provocação” e que os planos da oposição são um “pobre espetáculo” para fragilizar seu governo.

Esse é um show montado pelo governo dos Estados Unidos com a complacência do governo colombiano para humilhar os venezuelanos. A Venezuela tem os problemas que qualquer outro país pode ter“, afirmou Maduro.

Já do lado brasileiro o governo ainda não se pronunciou formalmente, mas o governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), disse acreditar que, embora crie um “clima tenso” na região, a decisão do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro de fechar a fronteira com o Brasil não impedirá a entrega de alimentos e medicamentos aos cidadãos do país vizinho.

Todo esse alvoroço criado com essas declarações fizeram com que diversos venezuelanos entrassem no Brasil para comprar estoques de mantimentos em Pacaraima (RR).

O exército venezuelano, a mando de Maduro, movimentou tanques na cidade de Santa Elena de Uairén, que fica a apenas 15 Km da divisa com Brasil. A movimentação foi registrada por moradores e divulgada em redes sociais. Ela ocorreu um dia após governo brasileiro anunciar que, em cooperação com os Estados Unidos, iria ofertar ajuda humanitária.

        O parceiro de primeira mão de Maduro a Rússia, por sua vez, realizou nesta semana um envio autorizado pelo governo venezuelano de 300 toneladas de ajuda humanitária para a Venezuela.

        Toda essa frenesi em volta da luta pelos poderes constituídos por ambos os líderes o “eleito” Nicolás Maduro e o autoproclamado Juan Guaidó, leva a Venezuela a cada vez mais fundo do poço. O povo, bem o povo, não é sequer lembrado é simplesmente usado para servir de jogo político e acaba sofrendo, agonizando, morrendo.

*Rivio Xavier Jr. é colunista, professor historiador e assessor parlamentar.

Comentários do Facebook