Ainda repercute caso do pai que matou filha de cinco meses em São Lourenço da Mata

Dois dias após sofrer graves agressões provocadas pelo próprio pai, uma bebê de cinco meses foi socorrida nessa sexta-feira (17) no Hospital Petronila Campos, no Parque Capibaribe, em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife. O pai, identificado pela Polícia Civil de Pernambuco como Augusto Silva da Cruz, de 23 anos, cometeu as agressões na casa da família, o que posteriormente resultou na morte da criança. Segundo a mãe, o homem não aceitava o fato de ter uma filha, já que queria um menino. 

De acordo com informações preliminares da polícia, o pai agredia a criança há pelo menos três meses. A conselheira tutelar responsável pelo caso, Elisama Fernandes, alega que o Conselho Tutelar de São Lourenço da Mata recebeu o chamado por volta das 9h da manhã da sexta (17) do Hospital Petrolina Campos, que informou o estado grave da criança. 

A bebê ainda passou por trinta minutos de reanimação pelos médicos, que conseguiram salvá-la apesar dos hematomas e lesões espalhados pelo corpo. Segundo a conselheira Elisama, a perna da criança parecia estar quebrada e também existiam lesões na face. Após a reanimação, a criança foi transferida imediatamente para o Hospital da Restauração, no bairro do Derby, na área central do Recife, mas não resistiu e faleceu no caminho. 

A mãe da criança, que não pôde acompanhá-la durante a transferência, permaneceu em São Lourenço para ser ouvida pela polícia e realizar o reconhecimento do agressor. O primeiro relato apontava que a bebê havia tomado suco e sido deixada sozinha no quarto enquanto a mãe foi estender roupas, e que, ao retornar ao quarto, estava desacordada. “Ela disse aos médicos que a filha caiu, mas as lesões eram muito graves para serem de queda. O corpo todo apresentava sinais de espancamento”, descreve Elisama. 

Ao conversar com a polícia, a mãe da bebê relatou que sofria violência de Augusto, que não permitiu o socorro da menina, e, por isso, ela não compareceu ao hospital antes. A Secretaria da Mulher foi acionada para acompanhar o caso, e, de acordo com Elisama, afirmou que a mãe foi vítima de Augusto, que a prendia dentro de casa. “Estamos realizando todo o levantamento, se existem outras denúncias e a polícia também está realizando o inquérito”, concluiu a conselheira. 

Segundo a Polícia Civil, Augusto Silva foi preso em flagrante por homicídio ainda na sexta-feira. Foi instaurado inquérito policial para investigar o caso. A pena que o pai pode receber é de 12 a 20 anos de prisão. O corpo da menina foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife.

O casal ainda possui outro filho, que está com a avó. A casa da família foi destruída pelos vizinhos, que atearam fogo na residência revoltados com a situação..

Fonte – Blog da Folha

Comentários do Facebook