Alto do Moura nos preparativos de mais uma edição do “Viva Vitalino”

O público que curte e valoriza a cultura local já pode se programar para a 6ª edição do “Viva Vitalino”, projeto criado para manter viva a arte deixada pelo Mestre Vitalino, que, se vivo estivesse, teria completado 110 anos no dia 10 de julho. O evento será realizado entre os dias 26 e 28 de julho, no Alto do Moura, em Caruaru, e prestará homenagem ao filho do mestre, o artesão Severino Vitalino, falecido no início deste ano e que era reconhecido como o último discípulos do pai famoso no Brasil e no exterior.

A iniciativa do “Viva Vitalino” é dos produtores culturais Antonio Preggo e Yone Amorim, a parceria é da Prefeitura de Caruaru, através da Fundação de Cultura e Turismo (FCTC), e conta com o apoio da Associação dos Artesãos e Moradores do Alto do Moura (ABMAM) e da Pastoral da Cultura. A programação consta de exposição de peças em barro produzidas pela Família Vitalino, em homenagem a Severino Vitalino; celebração de missa, exibição do filme ‘A Peleja do Bumba Meu Boi Contra o Vampiro do Meio Dia’, que está completando 35 anos; exibição do documentário ‘Um dia com Severino Vitalino’; e cortejo, o ponto alto do evento.

De acordo com Antonio Preggo o “Viva Vitalino” não teria um melhor nome para homenagear do que o de Severino Vitalino. “Essa será a primeira vez que faremos o evento sem a presença dele, sem a força e o incentivo que ele nos dava. Desde o início, há seis anos, ele foi uma figura primordial para o sucesso do projeto. Mas, tenho certeza que, com o apoio da família e da comunidade local, o nosso esforço não será em vão”, disse Preggo, ainda comovido com ausência do amigo Severino Vitalino.

A concentração do desfile começa às 14h, na ABMAM, de onde sairá pelas ladeiras do bairro. Participam várias manifestações culturais, a exemplo da Banda de Pífanos Dois Irmãos, Boi Tira Teima, Maracatu Flor do Barro, Mazurca, Afoxé Ilé Dandara, Bacamarteiros, Banda de Pífano da Apodec, Grupo de Pernas de Pau e o Museu dos Estandartes, com mais de 30 homenageados. O palco montado na Praça do Artesão receberá os shows de Walmir Silva, João do Pife e Valdir Santos e o Som da Rural.

De acordo com Yone Amorim executar o projeto requer muito esforço, principalmente no que se refere a apoio financeiro. “No ano passado tivemos a sorte de poder contar com recursos do Funcultura, o que não foi possível para esta edição. Felizmente o município foi sensível com a causa”, comentou a produtora cultural, referindo-se a FCTC.

Para o presidente da autarquia, Rubens Júnior, a gestão atual tem um compromisso com a cultura produzida no Alto do Moura. “Estamos fazendo jus ao nome do Mestre Vitalino e consequentemente dos seus familiares e de todos os artesãos que não só sobrevivem da arte do barro, mas são agentes fundamentais para a continuidade da arte figurativa”, ressaltou Rubens Junior.

Comentários do Facebook