LUDUGERO E OTROPE, 49 anos de saudades

Era 14 de março de 1970, há poucos minutos antes de pousar no aeroporto de Belém, no estado do Pará, o avião que conduzia Luiz Jacinto e Irandi Costa, respectivamente, Ludugero e Otrope, mergulhou na Baía de Guajará Mirim mergulhando o Brasil inteiro em saudades eternas. Filho de Caruaru, gigantes do humor puro, refinado, nordestino , personagens criados por Luiz Queiroga, fizeram rir o Brasil, seja pela TV Tupi canal 6, seja no rádio, teatros ou em discos.

O coronel iletrado, porém sábio, audacioso, decidido, apaixonado pela Felomena, sempre em companhia do seu polido secretário Otrope, viveram momentos de pura alegria, registrados em 6 LPS, misto de causos e forrós recheados de irreverência. Obrigado, Jacinto, Irandi e Queiroga, pela marca de qualidade impressa com letras de ouro no humor nordestino, com a qualidade 100% caruaruense.

A idolatrada Felomena, a filha Trubana, o jumento Zé Fernando, o cachorro Clemente mitrovsky, vira latas com nome russo, o vocabulário aneurestemico ou mordido do poico fazem parte do universo Ludugeriano. Valeu muito a passagem no planeta azul. A vida se perpetua, no infinito da eternidade. Valiosas lembranças e sinceros aplausos.
Na foto, minha coleção de discos!

José Urbano

Comentários do Facebook