Número de casos de estupro aumentou 114% no mês de setembro de 2018, em Caruaru

Dados da Secretaria de Defesa Social do estado (SDS-PE) apontam o crescimento de 114% no número de casos de estupro. De acordo com o órgão, em agosto deste ano foram sete casos do crime, enquanto no mês seguinte foram registradas 15 ocorrências.

Em Pernambuco, o número de casos também aumentou. De janeiro a setembro de 2018 houve um acréscimo de 8% nos casos de estupro, se comparado com o mesmo período do ano passado. Na região Agreste, também de janeiro a setembro de 2017, foram registrados 281 crimes de estupro, enquanto nos mesmos meses deste ano foram 331 casos – 17,7% a mais.

Uma mulher, que não quis se identificar por medo dos agressores, ainda fica nervosa ao lembrar o quanto sofreu depois de ter sido vítima de violência sexual várias vezes ao longo da vida. Ela foi estuprada há 16 anos e segue se recuperando do trauma.

“Amarraram os meus pés na cama. Amordaçaram minha boca para mim (sic) não gritar. […] Eu quero reconstruir a minha vida de volta”, disse a vítima.

O relato desta mulher não é isolado. Em Caruaru, novos casos de estupro vêm surgindo. A Polícia Civil investiga os crimes. De acordo com o delegado seccional do município, Bruno Vital, para que a resolução destes casos seja possível, é fundamental que a vítima denuncie.

“[Isso porque] realizamos no IML o exame sexológico, que indica a prática do ato, da conjução carnal violenta. E isso é importantíssimo para o convencimento da autoridade policial e também do juiz, na hora que arbitra a pena”, destacou Bruno Vital.

A legislação prevê punições para quem comete o crime de estupro. “Temos o estupro que prevê a pena de 1 a 5 anos. Temos também o estupro de vulnerável, que vai de 8 a 15 anos”, informou o delegado.

Comentários do Facebook