Vereador Edmilson do Salgado pode ser expulso do PCdoB

Por meio de nota o PCdoB confirmou que pode expulsar o vereador Edmilson do Salgado da legenda. A sigla faz parte da base de apoio a Paulo Câmara e Edmilson faz parte da base da prefeita Raquel Lyra, uma das principais opositoras ao governo do socialista em Pernambuco. O partido pediu que ele deixasse o governo local, o mesmo se negou e depois houve o pedido para ele deixar a legenda.

Edmilson também não seguiu a orientação e a comissão de ética da sigla foi instalada para apurar o caso. Ele está no terceiro mandato, todos eleitos pelo PCdoB e deve ser expulso da sigla. Segue a íntegra da nota:

Nota oficial

Em reunião realizada no dia 13 de abril de 2019, a direção municipal do Partido Comunista do Brasil – PCdoB em Caruaru, que contou com a presença do presidente estadual da sigla, Marcelino Granja, fez uma avaliação da situação política nacional, estadual e municipal ratificando o posicionamento de que o governo Bolsonaro não se identifica com a ideia de um Brasil para brasileiros e brasileiras, quando ignora a defesa da soberania nacional e imprime às camadas menos favorecidas o ônus de ações entreguistas e atabalhoadas que têm fadado o Brasil a um estado de retrocessos incomensurável.

Por sua vez, o PCdoB que preza por alianças comprometidas com o reestabelecimento da democracia e reorientação da nação brasileira para a retomada do desenvolvimento econômico e social, segue firme na defesa da construção e consolidação de uma frente ampla capaz de dar cabo aos desmandos instaurados pela onda conservadora em voga e hora representada pelo já enfadado bolsonarismo.

Na perspectiva de alianças, o PCdoB em Pernambuco segue firme na parceria com PSB do Governador Paulo Câmara, e dando sua contribuição na gestão ocupando a Vice Governadoria na pessoa da camarada Luciana Santos. Por sua vez, a prefeita do município de Caruaru Raquel Lyra segue na manutenção de oposição ao governo estadual e distante dos movimentos aglutinadores de forças de resistência aos retrocessos implementados pelo atual governo federal, inviabilizando a manutenção do apoio do PCdoB ao referido governo caruaruense.

Quanto a questões mais internas, o pedido de licenciamento de Lino Portela da presidência do partido em voga, quadro que prestou relevantes contribuições a sigla, derivou no estabelecimento de uma comissão pro tempore composta por Ailza Trajano, Sérgio Orobó e Agilson Nascimento, que dirigirá o partido em Caruaru até a conferência municipal na qual será eleita a direção para o biênio 2020-2021.

Ainda sobre questões internas, ressaltamos as dificuldades por parte do vereador Edmilson do Salgado quanto a introspecção da práxis do PCdoB o que desencadeou obstáculos importantes no processo, culminando com o descumprimento da orientação de ruptura do apoio ao governo local, tornando insustentável a sua permanência no partido. Procurando resolver a celeuma de forma amistosa, o partido propôs ao vereador o desligamento espontâneo tendo como contrapartida a garantia da não reclamação do seu mandato. Foram feitas algumas conversas, mas o vereador se manteve irredutível não dando alternativa, senão, a instauração de uma comissão de ética para tratar das especificidades da situação, como peça aditiva da formalização do processo legal de expulsão, que nesse caso desobriga o partido da retomada de acordo amigável proposto anteriormente para a resolução do problema.

Sem mais para o momento, o PCdoB saúda a população caruaruense e das adjacências, e reafirma a sua cumplicidade com as lutas libertárias por um país democrático, justo e inclusivo.

Fonte – Blog do Mário Flavio

Comentários do Facebook