Zélia Maria, a rainha do rádio

A radiofonia caruaruense tem nomes expressivos em sua história, que começou em 1951, nas imponentes instalações da Rádio Difusora de Caruaru, no belo edifício existente ainda hoje e classificado como patrimônio histórico na avenida Agamenon Magalhães.

Zélia é uma mulher genuinamente caruaruense, nascida no endereço da praça Juvêncio Mariz – hoje Teotônio Vilela – onde localiza-se o palácio municipal Jaime Nejaim, sede da prefeitura municipal. Em 1950, aquela jovem de bela voz iniciou a sua trajetória profissional como contratada da empresa Divulgadora de Anúncios, de propriedade do senhor Jader Borges, o qual tive a honra de conhecer nos anos 80 e me deu algumas dicas valiosas sobre a relação com os microfones: ou você se torna íntimo dele, ou ele (o microfone) te intimida, ensinou o sábio comunicador, já de saudosa memória e referência na publicidade volante na capital do agreste.

Observando todo o potencial de Zélia na seara mágica da comunicação, a Difusora se adiantou e Luiz Torres a contratou para o seu cast de locutores, criando ainda o fato inédito de ser a primeira voz feminina no interior do Estado a ter um programa diário ao vivo!

Costumo dizer que até os anos 2.000, ser profissional da radiofonia não era apenas uma profissão, era também um modo de fazer arte, e logicamente exigia dotes criativos instantâneos de todos os profissionais. Assim era Zélia!

O seu primeiro programa esteve no ar até meados dos anos 80: Postal Sonoro, que desde o início assumiu a liderança no horário e se manteve por décadas na posição, muito distante do segundo colocado. Foi elogiado no nordeste inteiro! Lembro-me claramente do formato, onde as pessoas mandavam cartas via Correios ou pessoalmente, oferecendo músicas para seus entes queridos, amigos, paqueras etc. O repertório? Apenas o melhor, bom gosto a toda prova!

Em face do crescimento da audiência, uma nova missão: Zélia apresentou com muito capricho o programa Ao Cair da Tarde, brindando os ouvintes com outro repertório de clássicos, a partir das 17 horas no prefixo AM 1080 em Caruaru. Encontro com a Saudade foi outro programa dela. Trabalhou na Rádio Liberdade com o Clube da Ouvinte, e em Recife atuou na Rádio Globo, e ainda nas Tvs Tupi e Tropical.

Na vida pessoal, teve oito filhos com o senhor José Maciel: Jane, Josélia, Jairo, Fátima, Severino, Benedito, Sebastião, Inauiny. Em 1996, Zélia foi para a eternidade, e nos deixou o legado artístico extraordinário, que pode ser resumido em duas palavras: saudades e talento, muito talento, em sua capacidade extraordinária de comunicação. No dia do radialista, 14 de novembro, nossa homenagem a mais essa estrela que brilha no céu da Princesa do Agreste.
Aplausos e gratidão, Zélia Maria Silva Maciel, a rainha do rádio pernambucano.

Prof. José Urbano

Comentários do Facebook